quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Zelaystas Nazistas


Não é difícil perceber que socialistas e nazistas têm objetivos comuns, segundo Pierre Chaunu,o socialismo e o nazismo são gêmeos heterozigotos, duas ideologias sanguinárias que pensam da mesma forma para a obtenção do poder político e econômico.


Os Zelaystas pensam da mesma forma que Hitler, além disso, conseguem ser piores, e acham pouco que os nazistas tenham matado "apenas" seis milhões de judeus. Vocês não acreditam nisso? Um vídeo, disponibilizado no blog do Reinaldo Azevedo, prova que os socialistas são sanguinários. Uma Rádio que apóia as sandices do Manuel Zelaya, com a voz de David Romero, diretor da “Rádio Globo”, se perguntou se Hitler não teve razão de exterminar os judeus. O que vocês acham disso? Essa rádio foi fechada pelo governo interino acusada de incitar a violência, e que os jornalistas brasileiros aproveitaram a ocasião para gritar nos quatro cantos do mundo que Roberto Micheletti era golpista.


Se isso não é incitar a violência é o que então? Os Zelaystas inventam uma espécie de complô judaico e promove ainda mais a matança na região. Isso mostra a periculosidade dos bolivarianos em transformar a América Latina num campo de batalha contra os seus inimigos em “potencial”.


E a imprensa brasileira? Vai colocar esse material nos meios de comunicação? Duvide-o-dó!




Volta o Cão Arrependido ...


O Celso Amorim parece conhecer bem a ignorância do povo brasileiro, e ainda tem o apoio da imprensa chapa-branca para que sua mentira se torne verdade, os jornalistas brasileiros engoliram a desculpa do ministro de que teria recusado dar o avião ao Zelaya para retornar a Honduras, tirando sua bunda bolivariana da reta e fingindo não saber de nada, o que é um comportamento característico do petismo.


Ficou evidente que a vinda de Zelaya ao Brasil teria como principal discussão a estratégia de retorno do caudilho hondurenho a Honduras, a mando de Chávez, já que o Brasil não aparenta ter mais liderança na América Latina como antes. A presença de Zelaya na Embaixada venezuelana estaria mais do que na cara que ele teria o apoio do ditador Chávez. Como o Lula ainda tem o apoio e o carinho dos idiotas europeus e do Barack Hussein, a escolha foi a Embaixada brasileira, dessa forma ninguém da comunidade européia e nem o coringa americano iriam desgraçar a estratégia bolivariana.


A diplomacia brasileira, com a arrogância dos petralhas, está mais preocupada em defender o marxismo bolivariano do que os interesses da nação brasileira. Eles preferem cuspir na constituição brasileira e cumprir com suas obrigações estratégicas do Foro de São Paulo, o Brasil fica em último plano, e nesse momento, em que Zelaya foi escorraçado merecidamente pelos militares hondurenhos, os diplomatas petralhas tentam de todas as formas recolocar a força Zelaya na presidência de Honduras, desrespeitando a Convenção de Viena e a Carta da OEA.


Não adianta o Celso Amorim vir com esse argumento de cão arrependido, mesmo que não tivesse oferecido o avião ao Zelaya, mas ofereceu casa, comida e roupa lavada ao cowboy bolivariano e seus seguidores, para que ele pudesse promover uma nova crise política em Honduras.


terça-feira, 29 de setembro de 2009

Ajudando o Tio Rei


Temos que passar esse texto do Reinaldo Azevedo adiante. É de grande importância, para aqueles que querem a preservação da democracia na América Latina, repassar a análise do Tio Reinaldo para botar o Celso Amorim na cadeia! Ele violou a convenção de Viena, o acordo da OEA, e cuspiu na constituição brasileira, nada mais justo que esse safado do Amorim seja alvo de um processo de impeachment.


Vamos ajudar o Reinaldão! Ele precisa da nossa colaboração! Obrigado desde já aos leitores do Blog.


Acompanhem abaixo o texto do Reinaldo Azevedo:




Com segurança absoluta, desde o primeiro dia da deposição do golpista Manuel Zelaya, afirmei que se cumpria a Constituição em Honduras. Meu post desta madrugada aguarda contestação competente. Até agora, nada! É bobagem me xingar. Tentem provar que o que está lá não está lá. Agora, demonstro por A + B, de maneira lógica, fundamentada apenas em textos legais, que o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, tem de ser alvo de um processo de impeachment. Agora! Não depois! E dá, é claro, para debater o impedimento de Lula também.


A Constituição de Honduras está em vigência. A do Brasil também. Não só ela. A Lei 1079, que deu origem ao processo que resultou na renúncia de Fernando Collor, continua a valer. Ela trata justamente do impedimento do presidente da República e de ministros de estado. A íntegra está aqui. Combinando o que dispõe o artigo 4º desta lei com o também artigo 4º da Constituição, Amorim tem de ser alvo de um processo de impeachment.


Basta que alguém se disponha a tomar as devidas providências. Vamos ver? Leiam trecho da Lei 1079:


Do Presidente da República e Ministros de Estado


Art. 1º São crimes de responsabilidade os que esta lei especifica.


Art. 2º Os crimes definidos nesta lei, ainda quando simplesmente tentados, são passíveis da pena de perda do cargo, com inabilitação, até cinco anos, para o exercício de qualquer função pública, imposta pelo Senado Federal nos processos contra o Presidente da República ou Ministros de Estado, contra os Ministros do Supremo Tribunal Federal ou contra o Procurador Geral da República.


Art. 3º A imposição da pena referida no artigo anterior não exclui o processo e julgamento do acusado por crime comum, na justiça ordinária, nos termos das leis de processo penal.


Art. 4º São crimes de responsabilidade os atos do Presidente da República que atentarem contra a Constituição Federal, e, especialmente (…)


Viram? Presidente ou ministro de Estado que atentem - ou que simplesmente tente.m fazê-lo.. - contra a Constituição perde o cargo (ver post seguinte). Agora vamos ler o que dispõe o Artigo 4º da Constituição:


Art. 4º A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios:


I - independência nacional;

II - prevalência dos direitos humanos;

III - autodeterminação dos povos;

IV - não-intervenção;

V - igualdade entre os Estados;

VI - defesa da paz;

VII - solução pacífica dos conflitos;

VIII - repúdio ao terrorismo e ao racismo;

IX - cooperação entre os povos para o progresso da humanidade;

X - concessão de asilo político.


Parágrafo único. A República Federativa do Brasil buscará a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando à formação de uma comunidade latino-americana de nações.


Como se nota, a postura do Brasil em Honduras, além de violar a Convenção de Viena e o Acordo da OEA de maneira escancarada, também viola os incisos IV, V, VI, VII e o Parágrafo Único do artigo 4º da Constituição. E isso, segundo a Lei 1079, torna Amorim e Lula passíveis de processo de impeachment.


Duvido que haja algum jurista no país que possa provar que estou errado. Aliás, a OAB - Ordem dos Advogados do Brasil - poderia cuidar já dessa questão, não é? Alô, doutor Cezar Britto, chegou a hora de agir.


Em defesa da Constituição do Brasil!


Passem adiante este post. Estamos falando de Constituição e leis. Elas têm de valer em Honduras. Elas têm de valer no Brasil.


RBS, Globo, Folha, Estadão: apologia do caudilhismo comunista

Por Carlos Reis


A Rádio Gaúcha, no Programa Atualidade, saiu mais uma vez em defesa do caudilho-fantoche de Hugo Chávez, Manuel Zelaya e, por via de conseqüência, de Lula e seu ministro porra louca Celso Amorim. O Jornal Nacional, lacaio de longa data do lulismo, repete sem cessar "governo golpista" de Honduras.

É claro que isso não é nenhuma novidade - é um cacoete de papagaio. A imprensa brasileira não passa de um berrante monótono, unicórdio, de uma nota só, de cor vermelha. Como o New York Times, talvez o mais velho jornal comunista em atividade, deve estar correndo atrás dos bailout do Obama. Nos EUA estão pedindo e levando empréstimos milionários para sobreviverem. Enquanto isso nenhum centavo para arte, cultura, enfim, informação verdadeira. Já não conseguem mais se valer sozinhos, dependentes que estão do Estado que, diga-se de passagem, não lhes têm negado ajuda para reerguê-los dos prejuízos causados por suas mentiras. O que o consumidor tem de agüentar se entupindo de mentiras contadas com as caras mais sérias e as vozes mais sedutoras não tem tamanho. Aqui não deve ser diferente.

Homiziado na embaixada brasileira (na verdade, dependência do Foro de São Paulo) o fantoche comunista criou um affair internacional na hora em que Lula, seu criador, se pavoneia na ONU em Nova Iorque diante da clack internacional. Mas a imprensa desinformadora tenta justificar a "legitimidade" da invasão da embaixada brasileira pelo protegido do Foro de São Paulo repetindo o mantra da "unanimidade da comunidade internacional", ou "consenso internacional". A voz uníssona ecoa slogans já distantes das táticas leninistas de criar as situações e depois por a culpa no inimigo.

Mas o pior poderá suceder com o povo de Honduras. A situação estava calma e superada depois da insuflação à violência em Honduras feita há dois meses pelo ex-guerrilheiro sandinista, hoje mandando na OEA, José Miguel Insulza, braço direito de Hugo Chávez. Se houver um banho de sangue a imprensa brasileira, além de Lula, Amorim, Hugo Chávez, têm que ser moralmente responsabilizada. Depois eu vou ver como vai ficar a cara dos apresentadores do JN.

No RS o despreparo intelectual do jornalismo político de Zero Hora, e da Rádio Gaúcha, o que às vezes se confunde com ingenuidade juvenil, não é diferente. Estão vendidos à idéia socialista que ecoam com prazer de organizações criminosas como a ONU e a OEA dos nossos dias. Elas há muito não são instituições sérias e respeitáveis e sim braços e mecanismos do governo mundial. Ontem assistimos ao show do terrorista líbio, do iraniano maluco que quer destruir Israel, e Lula, abraçado nele.

Sabem menos ainda nossos jornalistas sobre o programa do governo mundial que tem no Foro de São Paulo o elo latino-americano para um projeto mundial totalitário. Ou fingem que não sabem? No caso americano tal regime caracteriza o Foro de São Paulo, entidade política criminosa bancada pela cocaína, seqüestro e contrabando de armas que tudo controla, e que elegeu 10 presidentes de repúblicas bananeiras e cocaleras nos últimos 15 anos, todas elas disfarçadas de democracias.

Ademais esses jornalistas nem se poupam do ridículo que é defender qualquer ato de Hugo Chávez, um palhaço da cena internacional. Deixaram os jornalistas de ver Hugo Chávez ao telefone, todo sorridente comemorando o grande feito do Celso Amorim?

Isso é desinformação; não é jornalismo Por que os veículos da RBS jamais mencionam o nome da "besta" foro de São Paulo? Por que o jornal que lidera campanha contra o crack não denuncia o Foro de São Paulo como organização política que controla as FARC, pelas quais chega a cocaína com que é feito o crack?

Será que não recebem também o bailout do Obama, ou a sua contraparte brasileira? Permitam-me inferir.

Mas por que a atração fatal pelo crime, em especial o crime comunista, o crime do bandido invasor, o crime do MST? Por quê?

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Santiago Bernabéu à venda?


Será verdade isso? Eu não sei, mas eu fiquei muito surpreso com a notícia de que um grupo Árabe estaria disposto a comprar o Estádio Santiago Bernabéu, o clube madrileno não obteve vantagem alguma com as contratações de Kaká e Cristiano Ronaldo, as vendas de camisas não foram suficientes para arrecadar uma boa grana, e segundo o jornalismo da BAND, o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, não descarta a venda do maior patrimônio do clube espanhol.


O Real Madrid continuaria a jogar no Estádio Santiago Bernabéu, mas mediante ao pagamento de aluguel, e o local seria utilizado para fazer todo tipo de evento com a administração desse grupo árabe.


O preço para adquirir o patrimônio madrileno não foi revelado pelo jornalismo da BAND, mas seria uma quantia enorme que fez balançar o presidente do Real Madrid, e com a crise financeira afetando os clubes europeus, não seria nenhuma surpresa se o Florentino Pérez anunciasse a venda do Estádio aos empresários árabes. Mas, ele seria doido suficiente de vender o Santiago Bernabéu? Por esse motivo eu esperarei a confirmação dessa notícia.

As minhas sugestões


Quais Presidentes querem ser reconhecido pelo governo Lula? Eu tenho boas dicas. Após muitos anos de análises, eu cheguei a algumas conclusões:


- A ditadura tem que ter no mínimo 20 anos de existência. Exemplos? Líbia, Zimbábue, Cuba e etc.


- Ter apoio dos ditadores bolivarianos.


- Ser contra o capitalismo.


- Deixar bem claro ao mundo que se trata de um regime comunista.


- Ameaçar os países ricos com testes de mísseis nucleares.


- Ter uma relação de amizade com as FARC.


- Disseminar o ódio com discurso de “justiça social”.


- Ser Anti Sionista.


É claro que ser reconhecido por um governo corrupto como o PT não é lá grande coisa, mas para aqueles presidentes que querem ter o respaldo do governo Lula, basta seguir essas minhas sugestões, é um grande passo para ser aceito na comunidade criminosa do Partido dos Trabalhadores.

domingo, 27 de setembro de 2009

Homenagem à Enciclopédia do Futebol


Todo e qualquer tipo de homenagem à enciclopédia do futebol é muito pouco, os torcedores botafoguenses de todas as gerações são gratos a Nilton Santos que fez do Glorioso a melhor equipe do futebol mundial, e nesse domingo, no Estádio do Engenhão, antes do jogo entre Botafogo e Vitória, o Nilton Santos foi homenageado com uma estátua colocada no setor oeste do Estádio. É claro que as homenagens a esse grande homem nunca estarão à altura de sua importância, mas é tudo o que os dirigentes do botafogo podiam fazer.


No futebol de hoje em que os jogadores não têm nenhum compromisso com suas equipes, deveriam se espelhar em Nilton Santos, que durante toda a sua carreira de jogador só vestiu uma camisa de clube, a camisa do glorioso, de tantas glórias e títulos conquistados, e que teve o prazer de ter Nilton Santos como jogador e embaixador do Botafogo.


Obrigado Nilton Santo por ter sido jogador do Botafogo, eu sei que nenhuma homenagem será capaz de retribuir o que você fez pelo Glorioso, mas nós fazemos o possível.



R$ 100.000,00 valeu 3 pontos


É muito cedo para falar, mas está dando tudo certo para o Palmeiras conquistar o campeonato brasileiro de 2009, a diretoria dá uma tacada de mestre no caso Danilo, o cara resolve a situação contra o seu “ex-clube”, o Atlético-PR, e o zagueiro palmeirense fez de tudo e mais um pouco para garantir a vitória do verdão no Parque Antártica por 2 a 1.


Foi uma surpresa para todos, inclusive para a imprensa paulista, a escalação do Palmeiras com a presença do Zagueiro Danilo, mas ninguém imaginaria que ele seria o principal personagem do jogo de ontem. Para aqueles que não sabem, o Danilo está emprestado para o Palmeiras, e não poderia jogar contra o Atlético-PR, já que o clube paranaense detém ainda o passe do jogador. E a diretoria do Palmeiras teve a coragem de pagar R$ 100.000,00 reais para ter o zagueiro Danilo no elenco de sábado, sem imaginar que ele seria o melhor jogador do jogo junto com o goleiro Marcos.


O que ele fez para merecer esse destaque? Ele deu o passe para o primeiro gol, mesmo sem querer, marcou o segundo gol, e evitou em cima da linha o empate do Atlético-PR, e ainda teve a grande atuação do goleiro Marcos que só não fechou o gol completamente, por causa da cabeçada infeliz de quem? De Danilo que marcou contra o patrimônio. Mas sem problema, o Palmeiras continua firme e forte para ganhar o brasileirão de 2009, depois de 15 anos sem título nacional.


Avante Palmeiras! Avante Palestra!

sábado, 26 de setembro de 2009

O presidente-muamba

Por Diogo Mainardi



Celso Amorim é nosso homem em Tegucigalpa. Como o protagonista do romance de espionagem de Graham Greene (na tela, Alec Guinness), ele copiou o desenho de um aspirador de pó e passou a negociá-lo como se se tratasse de algo maior: um plano militar secreto.


O aspirador de pó hondurenho é Manuel Zelaya. Ele representa o eletrodoméstico mais antigo, mais prosaico e mais rumoroso da América Latina: o caudilho bananeiro que dá um golpe para se perpetuar no poder. Mas Celso Amorim, contando com a cumplicidade e a obtusidade de seus chefes, montou uma farsa internacional e contrabandeou o aspirador de pó hondurenho como se ele fosse um defensor da democracia, derrubado ilegitimamente por uma ditadura militar.


Hugo Chávez comandou o retorno de Manuel Zelaya a Honduras. Um jatinho conduziu-o clandestinamente a El Salvador. Ele cruzou a fronteira hondurenha sem ser identificado e, até chegar a Tegucigalpa, percorreu o país escondido no porta-malas de um carro e a bordo de um trator. Os meios utilizados no transporte de Manuel Zelaya denotam claramente sua natureza fraudulenta: ele é o presidente-muamba. Hugo Chávez sempre apoiou os traficantes de drogas das Farc. Agora ele apoia os traficantes de golpistas da Unasul. Só resta descobrir o papel desempenhado por Celso Amorim e Lula nesse comércio ilícito.


Na última semana, Hugo Chávez comparou Manuel Zelaya a Pancho Villa. Pancho Villa tinha um bigode. Pancho Villa tinha um chapéu. Pancho Villa era um bandido. Se Manuel Zelaya de fato é Pancho Villa, onde está Woodrow Wilson, o presidente americano que o combateu? Barack Obama? Nada disso. Segundo Hugo Chávez, “falta firmeza” a Barack Obama.


A “falta de firmeza” de Barack Obama garantiu o sucesso do primeiro putsch lulista. Daqui a dois meses, em 29 de novembro, Honduras elegeria um novo presidente da República. Seis candidatos concorreriam ao cargo, dois deles ligados ao próprio Manuel Zelaya. Ao receptar o presidente-muamba na embaixada brasileira, Lula conseguiu melar a disputa eleitoral, impedindo qualquer possibilidade de saída democrática para a bananada hondurenha. Além disso, seu ato estimulou uma brutal onda de saques a supermercados e a bancos do país. O imperialismo lulista é assim mesmo: Tegucigalpa é nosso quintal, e em nosso quintal quem escolhe o presidente é o nosso presidente. E ele já escolheu: é o aspirador de pó.





O Brasil dissemina o ódio


Está tudo errado na diplomacia brasileira, as más companhias parecem fazer parte do governo Lula, é uma lista interminável de ditadores com quem mantém acordos políticos para mostrar não sei o que para o mundo, talvez seja provocação, ou aquela velha mania de “justiça social” que os arcaicos diplomatas petistas adoram fazer.


É constrangedor ver o Lula defendendo as ações esdrúxulas do ditador iraniano Mahmoud Ahmadinejad, enquanto os países ricos acusam o governo do Irã de estar construindo uma usina atômica dentro de uma montanha, o que desobedeceria as regras de não-proliferação nuclear, o presidente Lula parece não estar nem aí, e apóia as sandices do aiatolá.


Tudo isso, penso eu, é inspirado no desejo de vingança contra os países ricos, típico de comunistas rancorosos que dominam a diplomacia brasileira atualmente, e que fazem a cabeça do Molusco para disseminar o ódio em todo o mundo. O Brasil está perdendo aos poucos o titulo de país pacificador, por conta dessas amizades bizarras com ditadores africanos, bolivarianos e muçulmanos.


sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Essa é para você Lula !


Essa é pra você Lula, o senhor do caos e da desordem, um presidente que se presta a fazer esse papel ridículo para recolocar no poder um aspirante a ditador hondurenho.

Veja o desespero dessa cidadã hondurenha, que vê o seu país em chamas por conta de sua irresponsabilidade, senhor presidente. Não, eu não espero que você se arrependa, eu sei muito bem que bandidos como você não se arrependem, mas pelo menos tenha um pouco de bom senso e tire esse vagabundo do Zelaya da nossa casa, o lugar dele é na cadeia! Essa cidadã não merece ver seu país nessa situação.

FMI é um dos responsáveis pela nova crise política em Honduras


Para aqueles que acreditavam que o FMI era uma instituição neoliberal, estão completamente enganados. O Fundo Monetário Internacional só aceita enviar dinheiro a Honduras se o ex-presidente deposto ,Manoel Zelaya, voltar à presidência do país, mesmo dois meses antes das eleições presidências. O FMI já anunciou que reconhece somente Zelaya como presidente de Honduras.


É uma pressão de todos os lados para que Zelaya retorne ao poder, e o FMI está jogando baixo para impedir que o país volte à normalidade, e disponibilizou cerca de 160 milhões de dólares aos ex-funcionários do governo golpista do Cowboy Hondurenho, no final do mês de agosto. Esses recursos deveriam ser entregues ao governo de fato, mas que acabaram por financiar o banho de sangue promovido pela esquerda bolivariana.


Eu vou enumerar os verdadeiros culpados pela nova crise política em Honduras: ONU, OEA, Lula, Celso Amorim, Chávez, Zelaya e agora o FMI. São todos criminosos com um objetivo em comum, de tornar Honduras em um palco de guerra para desmoralizar o atual governo legítimo do país caribenho.


quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Manifesto de brasileiros em Honduras




Nós, brasileiros (as) que formamos com os nossos familiares residentes a colônia brasileira de San Pedro Sula, Honduras, à comunidade nacional e internacional, fazemos saber:


1) Que lamentamos e nos envergonhamos profundamente pela atitude do nosso ministro das Relações Exteriores Celso Amorim, ao permitir a presença do Sr. Manuel Zelaya, na sede da Embaixada do Brasil em Tegucigalpa.


2) Que rejeitamos enfaticamente todas as ações unilaterais do Itamarati que marcaram um retrocesso nas relações diplomáticas entre o Brasil e o digno povo e atual governo de Honduras.


3) Protestamos veementemente por todas as ações não diplomáticas que estão causando, não só que o Brasil seja impedido de cumprir a sua liderança para a resolução pacífica do conflito interno em Honduras, mas também coloca em risco a representação diplomática direta, a nós brasileiros residentes em Honduras, aos funcionários da embaixada, aos vizinhos da embaixada e aos cidadãos de outros países que realizam procedimentos comuns na nossa embaixada, porque eles armaram um escudo humano em torno da figura do Sr. Zelaya, que infelizmente foi "hospedado” pelo Itamarati em nossa Embaixada em Tegucigalpa.


4) Que repudiamos veementemente o apoio do governo brasileiro à agenda de Chávez contra este pais humilde, que nos abriu as suas portas para fazer bons negócios em um clima que até ontem era de paz, onde vemos os nossos filhos crescer com dignidade e em fraterna convivência com os hondurenhos.


5) Que fazemos diretamente responsável ao governo brasileiro pelas eventuais consequências negativas, pelas represálias ou ataques em nossas vidas, empresas, residências e propriedades que possam acontecer como resultado desse abuso de poder sem precedentes na política externa do Brasil.


6) Exigimos que tomem medidas corretivas o mais breve possível para o Sr. Zelaya não continuar usando nossa embaixada para atos de sedição e chamando à insurgência.


7) Que finalmente pedimos ao governo do Brasil que respeite e se apegue aos mais elementares princípios da neutralidade, não injerência e de cooperação para a resolução de conflitos internos desta nobre Honduras, nação que só quer se desenvolver em Paz, Ordem e Progresso.


O MST e o Zelaya

Todo vagabundo que se preze, ocupa algum auditório ou embaixada para colocar as pernas lá no alto. O Marginal do sem-terra dorme sonhando na próxima invasão que irá acontecer, ou no caso do Zé Mané do Laia, pensando no dia em que se tornará rainha da bateria do bolivarianismo.



Veja que lindo, depois de semanas lutando contra os “selvagens” proprietários de terras, o vagabundo arruma um tempinho para dormir e se inspirar um pouco nas campanhas contra o capitalismo. Os discursos dos companheiros sobre reforma agrária servem de sonífero para o meliante.

Olha o que o Zelaya resolve fazer com a embaixada brasileira, é um típico vagabundo que entra na casa dos outros sem permissão, arreda a mesa, aproxima as cadeiras, e faz de um pedaço do território brasileiro num assentamento do MST.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

O Exemplo que vem do Sul


A geração “Leva tudo na boa aew” dos anos 60 é o principal culpado pelas más atitudes dos jovens nas escolas brasileiras, o professor não pode fazer nada para repreender o aluno, com o risco de ser achincalhado pelos ditos especialistas de educação.


Uma professora do Rio Grande do Sul obrigou um aluno a pintar o muro que pichou depois de ter sido pintado a menos de uma semana, e os pais acharam isso um absurdo, logo o filhote deles? Tão amado e carinhoso não é? Dá até vontade de puxar as bochechas do moleque. Os especialistas, que deveriam rasgar seus diplomas medíocres, acharam isso um “exagero”, coitado do garoto, ele estará traumatizado pelo resto da sua vida dedicada ao vandalismo escolar.


Sabe de uma coisa? O que essa Professora fez foi pouco, mas eu a apoio, ela teve coragem de peitar os especialistas de boutique e colocou o garoto para pintar o que tinha pichado, isso não é um absurdo, é um aprendizado para esse vândalo nunca mais pichar uma parede de uma escola.




EU TAMBÉM VOU RECLAMAR!


O governo de Honduras está dando um belo exemplo ao mundo de como proteger o país dos comunistas bolivarianos, o “politicamente correto” nos olhos da OEA, ONU e do Barack Hussein não devem ser levados em consideração. O Zé Mané do Laya desobedeceu à constituição de Honduras, e ainda tentou peitar as Forças Armadas para continuar com o seu projeto de transformar o país em um escritório do Foro de São Paulo, mas lá se respeita a constituição, e por isso todo esse estardalhaço dos Petralhas rancorosos, já que eles não estão acostumados a respeitar as leis brasileiras.


O Zé Mané do Laya quer fazer da embaixada brasileira o seu palco para fazer discursos políticos, e não para restabelecer a paz na região, tanto que ele nem procurou pedir asilo as autoridades brasileiras, e nem é objetivo do governo brasileiro dar asilo ao caudilho hondurenho, essa decisão não daria possibilidade de reinstalar o imbecil na presidência do país caribenho, que é justamente a intenção de Hugo Chávez e Barack Hussein.


Eu não entendo a posição de certos jornalistas brasileiros em chamar Roberto Micheletti de golpista, ele foi levado ao poder pelo congresso hondurenho de acordo com a lei do país. Golpista é a P* que Pariu esses jornalistas! E que não me venha o Lula com esse discurso de que Honduras deveria pedir desculpas ao Brasil. Quem deveria pedir desculpas é você seu canalha! Que está querendo causar propositadamente uma guerra civil no país, dois meses antes de começar as eleições em Honduras.


Não se pode de forma alguma dar asas a esses marginais do Foro de São Paulo, ou então ele usarão a América Latina para implantar a ideologia mais perversa que o mundo já presenciou: O COMUNISMO.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

IRRESPONSÁVEIS, FALASTRÕES E PERIGOSOS




Por Reinaldo Azevedo


O Brasil não reconhece o governo de Honduras. Muito bem. É parte do jogo e do concerto das nações. Este não-reconhecimento tem graus e vai da suspensão de qualquer cooperação até o fechamento da embaixada, com a retirada de todo o corpo diplomático. Mas aquilo a que se assiste em Tegucigalpa é outra coisa: o Itamaraty, numa ação concertada com Hugo Chávez e Daniel Ortega, criou meios para a entrada de Manuel Zelaya no país, violando a Constituição do Brasil, a Constituição de Honduras e a Carta da OEA. Já demonstrei isso. Mas o bolivarianinho Celso Amorim achou pouco: permitiu que Manuel Zelaya usasse as dependências da embaixada para convocar os seus seguidores para a “resistência”.


Embora fale em nome da “paz”, o apelo do bandoleiro deposto não descarta a guerra civil: “Pátria, restituição ou morte”. Lula e Amorim usam a pobre Honduras de forma miserável para exibir seus músculos (santo Deus!!!) e esperam que os hondurenhos tenham o juízo que eles não têm. Afinal, que compromisso o chamado “governo de fato” pode ter com a inviolabilidade da embaixada do Brasil se é considerado um “fora-da-lei”? “Creio que, no momento, tudo que se pode dizer é reiterar nosso pedido diário para que ambas as partes desistam de ações que tenham um desenlace violento”, afirmou Ian Kelly, porta-voz do departamento de Estado dos EUA. E, então, chegamos ao problema.


Os americanos já perceberam — e vai demorar bastante tempo até que a opinião pública mundial se dê conta — que Barack Obama como “líder” do Ocidente é uma piada. Poderíamos supor que a ação do eixo Lula-Chávez-Ortega contou com a bênção dos EUA. Não faltará quem vá buscar indícios de que a Casa Branca sempre esteve no controle. Bobagem! O governo americano foi surpreendido pelo protagonismo da esquerda carnívora (Chávez e Ortega) unida à esquerda herbívora (Lula).


Tenho me correspondido com hondurenhos. Não há menor a possibilidade de Zelaya governar o país a não ser com leis de exceção. Seus únicos apoios são sindicatos dominados por grupelhos de esquerda. Os EUA já tinham se dado conta disso e contavam empurrar a situação com a barriga até novembro, quando há eleições. Mas não deixaram claro que uma ingerência nos assuntos internos de Honduras era inaceitável. Então os lobos e os ruminantes entraram em ação. Tudo debaixo do queixo de estátua de Obama. Se a opinião pública ainda não percebeu que ele é fraco, hesitante, colegial, os governos já entenderam tudo. Pode passar a mão no joelho do rapaz, que a reação indignada virá umas 48 horas depois.


Antes que volte a Brasil e Honduras, mais algumas considerações sobre o mito já despedaçado. Obama é patético. A recente decisão de renunciar ao escudo antimísseis na Europa Oriental, dançando cancã para Putin, de saiote levantado, sem exigir uma miserável contrapartida, dá conta de com quem o mundo está lidando. Há uma explicação bastante sofisticada, inteligente e errada, para o caso: ele agiria assim porque pretende ter o apoio da Rússia, que pressionaria o Irã a não dar seqüência a seu plano nuclear. Aiatolás se interessam por russos enquanto russos forem úteis às pretensões, vamos dizer, “imperialistas” dos aiatolás. No dia em que a Rússia deixar de ser um bom parceiro, o Irã vai fazer o que acha certo. E, nesse caso, pode ser tarde demais.


Que fique o registro: eu não achava uma grande idéia instalar os escudos na Europa Oriental. Tomada a decisão pelo governo americano (pouco importa quem era o presidente), não se volta atrás assim, sem mais nem aquela. Sem contar que Obama deixou na mão os aliados dos EUA na Europa Oriental. Ele poderia ter parado por aí. Mas foi além: como tem a pretensão de governar os EUA a partir dos meios de comunicação, saiu negando que estivesse tentando agradar a Rússia. Ou seja, estava tentando agradar a Rússia. É um primitivo vendido por seus mistificadores como grande estrategista. O que me consola é que não será reeleito.


Por que essa digressão sobre Obama e o escudo? Chamo a atenção dos senhores para o fato de que um presidente dos EUA que faz essas patetices é absolutamente compatível com este que assiste à segunda tentativa de golpe civil bolivariano em Honduras. O primeiro foi repelido pela Justiça, pelo Congresso, pelas Forças Armadas e pela população. Mas Chávez não se conformou. Daniel Ortega mandou homens para a fronteira. Súcias de venezuelanos e nicaragüenses entraram no país para comandar o banho de sangue, frustrado porque é tal o ódio que o país tem a Zelaya, que falta a um dos lados massa para o confronto. Como tudo fracassou, então os neogorilas do continente rasgam a Carta da OEA, pisoteiam na Constituição hondurenha e garantem a Zelaya a volta ao país, usando a embaixada brasileira em Tegucigalpa como palco dessa pantomima.


Sim, no Brasil, há quem veja nessa atitude um gesto de coragem, ousadia e humanismo até. Sem dúvida. A prova maior da grandeza moral de Lula é sua undécima defesa da ditadura cubana, agora nas Nações Unidas. O governo brasileiro insufla a guerra civil num país que não tem presos de consciência e respeita as normas comezinhas do Estado de Direito e pede que uma tirania seja tratada como um governo respeitável. E alguns tontos no Brasil se regozijam. Ora, digamos que a Justiça, o Congresso e as Forças Armadas tivessem deposto Zelaya em desacordo com a Constituição, O QUE É MENTIRA, pergunto: isso justifica que o Brasil, para restaurar a democracia (que nunca deixou de existir), viole as regras mais básicas do direito internacional?


Porta-vozes de Celso Amorim na imprensa brasileira já se encarregam de espalhar a versão de que Zelaya ter “escolhido” (!!!) o Brasil é sinal do prestígio do país na região.


A propósito: aquela gente que ficou torrando a minha paciência apontando o “golpe” que derrubou Zelaya não vai reclamar da óbvia ingerência do Brasil nos assuntos internos de um outro país e do desrespeito à Carta da OEA? Micheletti pediu que o Brasil entregue Zelaya à Justiça. Que Justiça? Lula e Amorim, pelo visto, não reconhecem nem o Congresso nem o Judiciário de Honduras. A reinstalação de Zelaya no poder só poderia se dar se ele fosse posto num trono, com rei absolutista de Honduras, não como presidente.


De todas as porra-louquices internacionais feitas pelo Megalonanico, esta foi, sem dúvida, a maior e mais ousada, pautada, ademais, pela propaganda. Lula vai defender o fim do embargo comercial americano à tirania cubana com a “força” de quem intervém de modo grotesco na realidade interna de um outro país, mesmo com o risco de lançá-lo numa guerra civil. Lula queria ser notícia no mundo. Até havia pouco, noves fora a discurseria mistificadora, o governo Lula era, em política internacional, arrogante e falastrão. Agora estamos vendo que pode ser também perigoso.


Não faz tempo, a Economist perguntou de que lado estava o Brasil. A resposta era e é clara: do lado das ditaduras e dos que vislumbram uma “nova ordem” com o declínio dos EUA. Começamos a ver que cara ela vai assumindo.


O Brasil de Celso Amorim ataca soberania nacional de Honduras


Numa articulação do Foro de São Paulo, a diplomacia brasileira em conjunto com a OEA/ONU está interferindo diretamente e ilegalmente nas políticas democráticas de Honduras, é público e notório que eles querem destruir com as entidades hondurenhas para desmoralizá-los e implantar um governo bolivariano com a presença nefasta de Zelaya. Uma coisa é não reconhecer o governo, outra coisa é interferir nos assuntos de Honduras! Isso deveria ser criticado por todo mundo! É ridículo que esse guerrilheiro FDP do Celso Amorim faça isso para prejudicar um país que está sendo ameaçado pelos comunistas.


A Petralhada está dando refugio a um marginal que desobedeceu à ordem judicial em Honduras, e o principal objetivo desses canalhas é derramar sangue, uma guerra civil para desmoralizar o governo legítimo de Roberto Micheletti.


O Brasil preferiu rasgar sua própria constituição para salvar o caudilho bolivariano, veja abaixo:


Artigo 4º , da Constituição Federativa do Brasil ; .. “rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios : inciso III “autodeterminação dos povos”, inciso IV “ não intervenção”


Esses marginais do PT que tomaram conta da diplomacia brasileira acham que podem tomar decisões a favor dos tiranos comunistas, colocando os boxeadores cubanos no caldeirão para reenviá-los a Cuba, protegendo o Assassino do Battisti, e agora, eles se colocam à disposição para receber o aspirante a ditador hondurenho na embaixada do Brasil em Honduras. É muita pretensão!


O governo hondurenho deveria cercar a embaixada brasileira, cortar água e luz, impedir o fornecimento de comida e bebida, e caso eles desistam de proteger o caudilho hondurenho, é só prender esses imbecis e mandá-los para uma ilha rochosa sem que pudessem ser salvos. Só para ver como se sente um cubano na Ilha da prisão.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

O suicídio anunciado

Por Heitor De Paola


Ontem, o atual morador da Casa Branca, Barack Hussein, o Obaminável, destruiu a rede de defesa antimíssil que seria instalada na Polônia (mísseis interceptadores) e na República Tcheca (radares de alerta antecipado). Num discurso cheio de floreios e uma obra prima de desfaçatez, anunciou "uma nova arquitetura" de defesa para o território americano. Rendeu-se às ameaças de Putin e fez ouvidos moucos aos tradicionais aliados na Europa do Leste que conhecem muito bem os russos. Quem primeiro deu o alarme foi o Primeiro Ministro Tcheco, pois sabe que deixar as mãos do KGB livres significará em pouco tempo a "nova arquitetura" da velha Cortina de Ferro.

Barack Hussein anunciou que o novo inimigo passa a ser o Irã e, dizem alguns comentaristas provavelmente contratados pela Casa Branca ou idiotas úteis, procura conquistar o apoio de Putin contra Ahmadinejad. Será que não estão vendo que ambos são aliados no cerco sul aos EUA através do Foro de São Paulo? Chávez vai às compras em Moscou e às vendas (de material físsil) em Teerã sendo bem sucedido em ambos e alguém acredita que, se até os jornalistas de esquerda falam disto, a Casa Branca nem desconfia? E será que ninguém desconfia que Barack foi eleito exatamente para completar o suicídio da águia, que venho anunciando há anos através dos artigos com este título no site Mídia Sem Máscara?

O Obaminável é o "Manchurian Candidate": o robô do "shadow party" e da rede de organizações da elite de esquerda americana que, fundada e comandada por George Soros, vem tentando tomar de assalto a Casa Branca para levar a cabo a destruição final dos EUA. Esta rede inclui, entre outras, o Open Society Institute, o Center for American Progress Democrats, a Apollo Alliance, a ACORN, a MoveOn.org. A Apollo Alliance conta entre seus quadros com Van Jones, o nomeado "Green Jobs" Czar, comunista confesso e ex-integrante da STORM (Stand Together to Organize a Revolutionary Movement).

Soros e seus associados vão assim completando a tarefa que se impuseram quando Soros disse que os Estados Unidos da América constituíam o pior mal da humanidade. Vai conseguir extirpar o mal através de seu marionete instalado na Casa Branca.

A tática para atacar quem se opõe ao Obaminável é primária e rasteira: racismo, como os milhões de manifestantes em Washington D.C. foram chamados por Carter. Esta oposição, lá como fora, tem a ver com cor sim, não a externa, negra, mas com a interna, vermelha. Um dos maiores oposicionistas é o ex-candidato a Presidente Alan Keyes, também negro.

Quem se opõe a Soros também é chamado de anti-semita porque a maioria desconhece a verdadeira identidade e história horripilante deste gajo. Seu nome verdadeiro é György Schwartz. Quando em 1944 Eichman chegou à Hungria para apressar a "solução final" do problema judaico, o pai de György, Tivadar, conseguiu documentos falsos para todos os filhos e os distribuiu entre famílias cristãs de Budapest. György, então com 14 anos, foi para a casa de um homem cujo trabalho era confiscar as propriedades dos judeus e György o acompanhava e adorava a tarefa. Naquele ano 70% dos judeus húngaros, aproximadamente 1 milhão, foram exterminados. Para ele foi "o melhor ano de sua vida".

E esta bondosa criatura está com os olhos voltados para o Brasil. Desde FHC tem uma enorme influência sobre a economia brasileira através de seu ex-funcionário (?) Armínio Fraga que se associou recentemente, através de sua firma de gestão econômica Gávea, a David Neeleman e Julio Bozano para fundar a companhia aérea AZUL. Além disto, pouco antes de Barack mandar milhões de dólares para a PETROSSAURO, György comprou uma grande fatia da empresa. Inside information? Who knows?

Ontem nosso Abominável brasileiro mandou abrir o capital do Banco do Brasil até 20%. Terá o dedo de György, que comprará uma grande parte? Devemos ficar atentos. Se for verdade, brasileiros apertem o cinto: o piloto ASSUMIU!



A insistência de Barack Hussein


O Barack Hussein está parecendo mais um daqueles pastores da Igreja Universal, que adora fazer discursos em vários lugares ao mesmo tempo, ele pensa que ainda está em campanha eleitoral, e faz disso o seu showzinho particular. Hussein está transformando os Estados Unidos em um palanque para suas profecias populistas.


O presidente americano vai aparecer em cinco programas diferentes no mesmo dia, tudo isso para impor a sua agenda política e para se defender de acusações “infundadas” contra a sua pessoa. Em um dos trechos vazados pela imprensa americana, o coringa comunista dá a entender que as pessoas o acusam pelo fato de ser negro, mas que não é a questão predominante segundo ele.


O Barack Hussein vê sua política socializante ir por água abaixo, e com o apoio da CNN e seus asseclas, ele tenta de toda maneira se explicar ao público americano sobre a importância da reforma da saúde pública nos Estados Unidos. É uma reforma inescrupulosa que deixa de lado os idosos para beneficiar imigrantes ilegais, e que ainda pode ocasionar um rombo enorme no cofre público do país.


É um comunista Pop star que se faz de ovelha, mas que no fundo é um lobo que tem a intenção destruir com as instituições democráticas dos Estados Unidos.

domingo, 20 de setembro de 2009

Jimmy Carter é uma piada de mau gosto


O ex-presidente americano puxa saco de comunistas, Jimmy Carter, deu a entender que os Estados Unidos apoiaram a tentativa de tirar o tirano Chávez do poder em 2002. Esse presidente aposentado e fracassado foi um dos “observadores” internacionais que legitimou a ditadura chavista, mesmo com as evidências de fraudes nas urnas eletrônicas no referendo de 2004 sobre a presidência do ditador bolivariano.


Não me surpreende que Jimmy Carter tenha falado esse tipo de asneira, como presidente dos Estados Unidos nos anos 70, sempre foi um babaca que fazia reconciliações tenebrosas com árabes e comunistas. Foi de tanto fazer besteira como pacificador americano, que a sua popularidade ficou abaixo do Pré-Sal, e graças ao bom Deus, teve uma derrota humilhante nas eleições de 1980, com a vitória do grande Ronald Reagan. Ele queria ser o presidente do Prêmio Nobel da Paz, e não dos americanos.


Eu pensava que esse adorador de ditador comunista seria somente um pacificador imbecil, mas com essa sua afirmação ridícula de que Os Estados Unidos estariam por trás do Golpe de Estado contra o Hugo Chávez, não me resta à menor duvida: Ele é um comunista salafrário!


Como diz o Aluizio Amorim. Fogo no Botocudo Comunista!!!!



Para os camelôs, tudo. Para os comerciantes, nada.


As autoridades de Belém respeitam mais os camelôs do que os comerciantes que pagam seus impostos regularmente. Os Ambulantes podem se instalar na frente dos shoppings na maior cara de pau que nenhuma autoridade irá aparecer para tomar alguma providência, mas para cobrar impostos dos comerciantes, eles vêm aos montes não é? Em Belém é o poste que urina no cachorro.


Com a construção de um novo shopping em Belém no bairro do reduto, os camelôs já estão se organizando para se instalarem em frente ao novo centro comercial. Eu não sei de onde vem tanto camelô, mas é fácil perceber que as autoridades de Belém não fazem nenhum esforço para conter o avanço desses caras na capital paraense, e o comercio ilegal vem crescendo assustadoramente. Só pelo fato dos camelôs fazerem gato de energia elétrica nos estabelecimentos dos comerciantes, já é um motivo mais do que justificável para colocar esses marginais na cadeia.


O problema é o seguinte, o comerciante no Brasil é visto como um burguês/sionista/neoliberal/yankee/tucano/privatista culpado pela pobreza do país, enquanto isso os camelôs são vítimas do capitalismo selvagem, e que segundo as autoridades, eles podem fazer o que querem, há de ser tudo da lei.


É uma pena que os comerciantes continuam sendo maltratados pelos homens políticos de Belém, são eles que fazem impulsionar legalmente a economia da cidade, mas que mesmo assim são tratados como burgueses malvados.

sábado, 19 de setembro de 2009

Tem Coisas Que Só Acontecem com os Alvinegros


Tem coisas que só acontecem com o Botafogo? Também, mas o alvinegro cearense foi vitima hoje de um dos maiores erros de arbitragem do futebol brasileiro. Mudando um pouco a frase: tem coisas que só acontecem com os alvinegros.

Um gol de mão do Atacante Wellington do Paraná foi decisivo para a vitória do tricolor paranaense sobre o Ceará em pleno Castelão. O time cearense até que tentou alguma reação, porém em vão. No segundo tempo, o Ceará não conseguiu consertar a trapalhada do árbitro, e o resultado foi mesmo 1 a 0 para o Paraná em Fortaleza.
Poderia até ser um gol de mão “às escondidas” como o de André Lima contra o Corinthians, mas esse gol do Wellington foi escandaloso, até um cego seria capaz de ver a intenção do jogador em marcar um gol com a mão, ou até mesmo o Lula que nunca vê nada. Foi à decisão de arbitragem mais absurda que eu já vi em toda minha vida, não é possível que um profissional dessa área não possa ter visto tal escândalo.

Caso o Ceará não se classifique para a série A do campeonato brasileiro, pode colocar na conta deste árbitro incompetente.




Barack Hussein não é Tony Blair


Eu vou dizer a verdade, eu me deixei enganar pelo sorriso fácil de Barack Hussein, pelos discursos inflamados, e pelo carisma que ele tinha de quase toda população do planeta, para mim ele seria um novo Tony Blair, um esquerdista moderno que equilibraria a participação do estado e das instituições privadas na economia.


Por que eu digo isso? Digamos que, tanto Tony Blair como Barack Hussein tiveram o apoio maciço da imprensa mundial, e se tornaram líderes de uma hora para outra para a festa dos esquerdistas em geral. Os dois líderes representavam a mudança política e comportamental de seus antecessores que tinha pensamentos mais conservadores, além de serem mais jovens, o que chamou ainda mais a atenção do público.


Tony Blair adotou uma política reformista, e deu atenção especial à educação e a saúde no seu governo, procurou se integrar mais com o bloco econômico europeu, e dividiu bem o papel do estado e das instituições privadas. A esquerda mundial começa se decepcionar com o Tony Blair, quando o primeiro ministro britânico se junta com George W. Bush na guerra do Iraque. Ele perde a simpatia dos esquerdistas e passar a ser considerado “fascista” pelos socialistas de boutique.Que bom! Não é? hehe..


Já o Barack Hussein é um salafrário socialista da pior espécie, e por isso teve todo o apoio da CNN e seus Blues Caps. Até agora ele não foi incomodado pelas agências internacionais e tão pouco pelos socialistas, só um incomodo ali e aqui do Hugo Chávez para disfarçar. Ele está levando os Estados Unidos a uma das maiores catástrofes da história americana, dialogando na mesa de negociação com terroristas socialistas prontos para enfiar a faca. E se alguma manifestação espontânea contra Barack Hussein é realizada, a imprensa mundial se une para salvar a imagem do comunista safado, para que ele possa continuar com a destruição da democracia americana.


E eu que pensava que ele iria ser mais um esquerdista “arrependido” como Tony Blair, odiado pelos socialistas. Que nada! Ele é um patife mesmo, amigo dos piores inimigos dos Estados Unidos como Putin, Fidel Castro e Hugo Chávez.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

O FILME DE LULA, O FILHO DO MAL


Por Ipojuca Pontes




“O cinema está no ramo da prostituição” – Ingmar Bergman


Numa noite de junho de 2005, Zé Dirceu, então chefe da Casa Civil do governo petista, considerado pelo procurador-geral da República como o chefe da “Quadrilha Organizada” operante no Planalto, reuniu-se em ambiente domiciliar, no Rio de Janeiro, com representantes da “classe artística”, entre eles o lobista Luiz Carlos Barreto, o ariete-mor do cinema caboclo.


A tropa de choque do cinema, como sempre à cata de privilégios e regulamentações coercitivas, queria, com urgência, maior volume de verbas públicas para tocar a cornucópia da fortuna. O clima era de tensa expectativa.


Depois da choradeira de praxe, o chefe da Casa Civil - logo depois varrido do cargo por força das denúncias do deputado Roberto Jefferson - arregaçou as mangas e encarou friamente a platéia ansiosa. Só então, dedo em riste, foi incisivo na sua convocação para fazer do cinema um ativo instrumento da propaganda oficial. Disse ele:



- “Organizem-se e cheguem a nós”.


O ex-guerrilheiro (sem guerrilha) não precisava chegar a tanto, afinal todos ali presentes não tinham outra intenção senão servir ao governo Lula, mas LC Barreto, cobra criada nos pântanos pouco ortodoxos de “O Cruzeiro” do “Dr. Assis”, captou a mensagem. E logo após o interregno de alguns filmes sem o menor apelo, “matou no peito” a produção cinematográfica que ele, rápido no gatilho, transformou num “negócio de ouro”: “Lula – o filho do Brasil”, melodrama adaptado da “biografia autorizada” de Denise Paraná (assessora política de Lula na campanha contra Collor, em 1989), publicada pela Fundação Perseu Abramo, organismo criado pelo PT para dar suporte ideológico (marxista) aos “companheiros de luta” e lavar a cabeça dos “inocentes úteis” em âmbito universitário – está implícito, também com apoio das generosas verbas públicas.


Como por milagre, aos 80 anos, o lobista Barreto tinha em mãos, para abrir os cofres bilionários da Ambev, Odebrechet, Embraer e das grandes empresas nacionais, todas dependentes da boa e má vontade de Lula, a chave-mágica da “comovente história de um menino miserável do Nordeste que chegou à presidência da República” (depois de passar, já se vê, pela escola matreira do sindicalismo vermelho).


A primeira tarefa de LC Barreto ao levantar o esquema foi anunciar o orçamento daquele que se diz ser o “mais caro filme brasileiro de todos os tempos”. Numa conta de chegar sempre elástica - sobretudo quando se trata de levar à tela a vida de presidente de um “Estado forte”, em pleno gozo das funções -, de início a produção de Barreto foi orçada em R$ 12 milhões, em seguida revista para R$ 16 milhões, e logo depois elevada para R$ 17 milhões e R$ 18 milhões – sendo muito provável que “Lula, o filho do Brasil”, quando do seu lançamento no ano eleitoral de 2010, ultrapasse a casa dos 30 milhões de reais, pois, como o lobista gosta de afirmar, é um “sujeito que pensa grande”. (De fato, com o dinheiro que já arrastou dos cofres públicos para fazer cinema, desde os tempos da Embrafilme dos militares, desconfio que o lobista, se quisesse, poderia construir não sei quantos palácios da Alvorada, embora tenha “pipocado” na hora de comprar o espólio da estatal do cinema).


Um articulista de “O Globo”, Zuenir Ventura, comunista light sempre a serviço da patotagem cinemanovista, escreveu que o melodrama de Barreto, em fase de acabamento, “mexe com a emoção e vai encharcar o cinema de lágrimas”. Sobre isto, tenho poucas dúvidas: o apelo emocional do relato de mãe e filhos menores sobrevivendo em meio à miséria, se tratado com o mínimo de talento, sempre rende um bom caldo. (Sem esquecer que o infatigável Barreto, se quiser, ainda pode avançar com apetite de hiena em cima do “tíquete cultural” recentemente anunciado pelo Minc, outra prodigalidade fiscal criada pelo governo, capaz de atrair para o seu “negócio de ouro” filas de milhões de lacrimejantes).


No entanto, devo ponderar ao leitor que, por si só, o fato de Lula ter sido retirante não explica sua ascensão política: uma coisa é o Luiz Inácio criança sacolejando num pau-de-arara ou comendo o pão que o diabo amassou como engraxate nas ruas de Santos, e outra, bem outra, é o Lula sindicalista, figura disponível enfronhada até os ossos na catequese comunista das “eclesiais de base” do Frei Betto, Casaldáliga e D. Cláudio Hummes, ou o Lula ventríloquo emprenhado pela gororoba da pseudociência dos bem-remunerados marxistas da USP - uma gente na sua totalidade fanatizada pelo materialismo dialético, todos eles egressos de movimentos comunistas derrotados durante décadas pela vontade do povo brasileiro e dos milicos.


Sim, há um aspecto fundamental neste caldo biográfico que o “negócio de ouro” de Barreto na certa não irá distinguir, isto é: que o filho de Dona Lindu, o rapazote angustiado pela fome e pela incompreensão do mundo, nada tem a ver com o pivete que tomou o dinheiro do patrão para fazer hora extra e depois, sem trabalhar, mandou o patrão “tomar no cu”; ou com o operário ignorante, mas maleável que, conduzido por mãos comunistas, freqüentou cursilhos (na Alemanha Oriental, entre outras plagas) especializados no fomento ao ódio de classe; nem muito menos com o companheiro escolado, feito líder sindical com o apoio maquiavélico do General Golbery (mentor do contragolpe de 1964), a encher a cara de cachaça e tomar a grana de Murilo Macedo, o ministro do Trabalho da ditadura militar.


No prefácio do livro de Denise Paraná, o uspiano “utópico” Antonio Cândido (no parecer preciso de Oswald de Andrade, um “chato-boy”), citando outro comunista, o antropólogo Oscar Lewis, tenta explicar a existência de Lula-filho-de-D. Lindu e do Lula-agente-do-PT como uma transição natural da “cultura da pobreza” para a “cultura da transformação”, cuja síntese histórica será o advento do comunismo (“a sociedade na qual a distribuição dos bens seja pelo menos tão importante quanto a sua produção”, diz ele).


Conversa mole, trololó de acadêmico (fanático) para inocular o virus revolucionário na cabeça dos trouxas! Como qualquer observador pode vir a concluir, Lula e o PT (encarado como uma “quadrilha organizada” pelo que resta da efetiva consciência nacional) são produtos diretos do arreglo histórico, ainda hoje prevalecente no Foro de São Paulo, entre os intelectuais comunistas da USP, religiosos apóstatas da Teologia da Libertação e esquerdistas radicais envolvidos com o terror rural e urbano.



(Se o leitor quer detalhes, foi justamente um desses integrantes da elite intelectual comunista, remanescente da antiga “Esquerda Democrática” (PSB), o abastado Mário Pedrosa (trotskista histórico), que, interpretando a vontade dos pares, escreveu em 1978 a negligenciada “Carta a um operário”, convocando o sindicalista do ABC a urgir forças para fundar o Partido dos Trabalhadores, necessário, segundo ele, à materialização do “socialismo democrático”. Na verdade, não poderia ser de outro modo: esfacelada nos distintos campos de batalha, inclusive no da luta armada, restava à “inteligentsia” cabocla criar um preposto convincente para chegar ao poder e socializar o País).



Bem, em parte graças à permissiva “teoria da descompressão” de Golbery, quase trinta anos são passados desde a fundação do PT, e aqui estamos todos na ante-sala (melhor seria dizer, saloon) do reino fantasiado por Marx, Lenin, Gramsci, Mao e Fidel Castro. Nele, Lula, o filho “espiritual” de Betto, Candido, Pedrosa, Buarque e Carvalho (entre outros) labora, sem medir recursos, para destruir por dentro a “democracia burguesa”.


Neste período, o filho acalentado dos quatro Cavaleiros do Apocalipse (os componentes do arreglo acima enumerados e mais o poderoso exército da mídia comprometida com o feitiço revolucionário), feito presidente, tornou-se um animal político da mais baixa categoria, capaz de tudo e mais alguma coisa no propósito de criar “um outro mundo possível”.


Basta conferir: com Lula no poder o Brasil tornou-se, de forma premeditada, um dos países mais corruptos do mundo, onde a população se deixa escravizar seis meses ao ano para, entre outras mazelas, financiar o incontrolável aparelhamento da máquina pública, a bilionária propaganda enganosa, os “movimentos sociais” criminosos, as incontáveis Ongs parasitárias, o fausto palaciano, os partidos políticos de aluguel, programas sociais fraudulentos, etc., para não falar no enriquecimento súbito e milionário de amigos e familiares – tudo a funcionar com a precisão de um cronômetro suíço, como de resto recomenda a boa prática do “socialismo democrático”.


Como conseqüência desta escalada para “a construção de uma sociedade mais justa e solidária”, que se esmera no cultivo da moral revolucionária, cujo objetivo é solapar os alicerces da cultura ocidental e da ética cristã (não matar, não mentir, não roubar...), a nação se agiganta num convívio de irmão siamês com o narcotráfico, o tráfico de armas, os escândalos diários e os incessantes assaltos aos cofres públicos - tudo no reboque de um judiciário politizado e de um aparato policial, salvo hiato, contaminado pela moralidade criminosa dos Donos do Poder.


Pois bem: é neste clima de diluição moral e de completa mistificação ideológica, no qual o cidadão indefeso precisa ser logrado a todo custo, que vai ser lançado em 2010, ano das eleições presidenciais, “Lula – o filho do Brasil”, o “negócio de ouro” de Barreto, uma indisfarçável peça de propaganda a serviço do culto à personalidade.


Quem dúvida?




Propaganda enganosa


Já não é nenhuma novidade de que o PT mente, e não é diferente com a Petrobras, empresa que os petralhas têm como propriedade deles.


A Petrobras mente descaradamente sobre a sua posição no mercado, e afirma ser a oitava maior empresa do mundo baseado nos estudos feitos pela consultoria Ernst & Young. Os critérios utilizados para colocar a empresa nessa posição foram propositais, e serve unicamente de ferramenta de propaganda para o governo federal nas eternas campanhas “eleitoreiras”. Como bem disse o meu amigo Laguardia em seu Blog “Brasil – Liberdade e Democracia”, é sempre muito subjetivo avaliar o valor de mercado de uma empresa, mas é evidente que isso não passa de uma propaganda cretina do PT e seus asseclas.


O ranking da revista americana Fortune pertencente a CNN, colocou a Petrobras na trigésima quarta posição entre as quinhentas maiores do mundo, o que já uma colocação excelente, mesmo assim os petistas querem mais, e usam do populismo barato para estimular o patriotismo falso no povo brasileiro.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Comentários de um petista no site do Estadão

Imagine um estado sem que o povo pudesse acessar a internet, um único jornal em circulação, vários canais de TVs aparelhados pelo governo, terras confiscadas em nome do povo, presos políticos “anti-revolucionários”, culto à personalidade, entre outras coisas. Esse mundo totalitário é um verdadeiro paraíso não só para o pessoal do partidão, mas também seria um mundo ideal segundo os militantes idiotas úteis do PT.


Por “amar” a ideologia mais do que qualquer outra coisa, é que os idiotas úteis vão além da estupidez humana numa busca incessante do tudo e do nada para justificar os atos de seus representantes. Para analisar a tomada de poder promovido pela esquerda, por exemplo, eles chamam de “revolução”, por outro lado, se o inimigo tivesse a mesma atitude isso seria chamado de golpe de estado pelos petralhas, mesmo que seja um contra golpe como acontecido em Honduras. Isso é para mostrar que os esquerdistas mudam o significado para “refutar” seus atos e criminalizar seus inimigos.



Veja um comentário de um Petista orgulhoso no site do Estadão e verifique sua perversidade. O comentário é sobre a intimidação da Família Kichners ao “Jornal Clarín”, ele é a favor da brutalidade populista da presidente argentina.



"Esse Clarin parece ser as Organizaciones Globo Argentinas, principal partido de oposição e, naturalmente, chupinho de teta publicitária oficial. Os Kirchner parecem estar tentando instaurar a Democracia na Argentina. Lula deveria aprender a lição e cortar as tetas para o Grupo Abril e para as Organizações Globo".



Assim são os petistas que clamam por democracia, mas que no fundo são seres totalitários e amantes das ditaduras comunistas em toda parte do mundo. É um sonho de todo petralha que o Brasil seja um país dominado eternamente pela gentalha vermelha.

Fumando Minc e cheirando Tarso


Por Carlos Reis

Mídia Sem Máscara


Em uma semana, somente uma semana, tivemos dois shows protagonizados por ministros do governicho Lula. Nunca antes neste país tivemos tanta pobreza no âmbito político e intelectual como agora. Nunca antes neste país se desceu tanto. Mas, convenhamos, nunca antes neste país tivemos tanta oportunidade de nos rirmos à larga, de criticar aos montões, de debochar de políticos. Nunca tivemos, por exemplo, políticos de governo tão trapalhões e tão ridículos como Tarso Genro e Carlos Minc. Eu bem que poderia compor uma outra dupla caipira, por exemplo, Dilma Roussef e Suplicy, mas aí já seria violar o Estatuto da Criança e do Adolescente. Fiquemos com o maconhista Minc, e o filoterrorista Tarso Genro. Já é bastante.


Comecemos pelo maconhista Minc. Aliás, maconhista, e não maconheiro, como o Temporão é abortista e não aborteiro - não confundamos o ato e a prática, com a defesa e a apologia de seu objeto. Pois o Ministro do Meio Ambiente enfumaçado do cocalero Lula (eu não disse também que Lula consome cocaína - talvez uma folhinha ou outra, em infusão alcoólica) soltou totalmente sua franga psicodélica em show de reggae defendendo o uso e a liberdade que cada um tem de destruir sua cabeça com a erva do diabo. Em seu delírio maconhista, falou em "defender o cerrado, a caatinga, a Amazônia, a Mata Atlântica e o reggae. O reggae é a liberdade,...". A galera do reggae adorou. Já é a segunda vez que o Ministro das Ervas faz apologia da maconha e da sua liberação diante de público tão distinto. Chegou a citar a liberalidade da Argentina de Maradona e o seu futebol, sem se dar conta que a situação miserável dos hermanos talvez corra por conta dessa mesma liberação. A cocaína está no comando da seleção deles como está no comando do governo de Lula.


Com o outro ministro, o peremptório Tarso Genro, o caso é diferente. Confesso que fico com dificuldade de tipificar a espécie do ridículo. Começo por lembrar que eu apontei isso no momento em que o peremptório se transformou em Ministro da Justiça do cocalero Lula. Cito a mim mesmo:


"...Repito, querem desmontar aquela montanha de ego e essa máquina fantástica de falsificar a verdade? Denunciem a sua indigência intelectual. Isso desestabilizará mais facilmente o governo Lula e sua quadrilha palaciana e par(a)lamentar. Não percam tempo tentando fazê-lo lembrar da nossa moral porque ele nem sabe que ela existe. Mostrem um espelho para Tarso Genro. Digam para ele que ele não tem estatura física nem de um Carl Schmitt..."


... Somente Tarso Genro poderia tornar óbvio o estado policialesco que o governo Lula, com ajuda tucana, conseguiu esconder até aqui...


... Tenho certeza que esta foi uma escolha acertada para o país. Tarso Herz Genro é um homem de Partido; um militante valioso com um senso perfeito da justiça social e tem conhecimento pleno da atual democracia brasileira que tem muito de sua marca. Não concordo com as previsões pessimistas e derrotistas de alguns analistas apressados. Não tenho dúvidas que o Brasil ganhará muito com a escolha feita. Será o coroamento final das instituições dessa democracia. Finalmente a verdade escondida será revelada. Além disso, o povo do Rio Grande o conhece e o recomenda. Deixem-no trabalhar e o povo brasileiro será amplamente recompensado, lhe ficando eternamente grato: SERÁ O FIM DE LULA! (de artigo de 16/03/2007).



Atacado impiedosamente no intelecto pelo voto de Cesar Peluso, que acho que leu o texto acima, e que o colocou na posição incômoda de um protetor vulgar do comunismo, do terrorismo e do companheirismo criminoso, agora o peremptório se desgasta ainda mais e se enreda ainda mais como mosca apanhada em uma teia: já tendo insultado a República da Itália, agora insulta o ministro do Supremo. Ora, Tarso Genro, deixa que eu insulte o supreminho! Você não!



A face do ridículo brilha a cada frase sua; a torpeza comunista avulta em cada gesto seu, como seu companheiro de ridículo, Suplicy, que se solidarizou com o criminoso de sangue com quatro mortes nas costas. Nem um nem outro sabem que estão defendendo o verdadeiro pai do PAC (Proletari Armati per il Comunismo) quando assumem a posição de protetores de criminosos condenados e foragidos. Já tinha sido assim com o gerente de vendas de cocaína no Brasil, Oliverio Medina, protegido de Dilma Roussef. Mas Tarso Genro foi longe demais porque tentou emprestar ar solene e pomposo a uma farsa, a uma mentira, a uma vulgar defesa de criminoso de sangue porque perpetrado por comunista, no abstrato alguém que defende em comum com ele a mesma causa assassina.


Pegou muito mal fazer de um criminoso de sangue um perseguido político, um rifugiatti. Agora exposto, sangrando no ego, expõe o governicho cocalero de Lula à vergonha até no estrangeiro.


E por tudo isso, não será difícil imaginar essa República cocaleira como uma enorme pedra de crack ou uma carreirinha amazônica de coca. O Brasil de Lula, de Tarso, só fumando Minc...onha! E foi isso exatamente que um povo viciado, a Tribo Brasil fez: consumiu Lula, Dilma Roussef, Tarso Genro, e que não se diga, infelizmente, que não consumirá de novo. Se o fizer, entretanto, terá que assumir e subir no palco da maconha e do crack. Em outro lugar que não a República Cocalera estaria lançado o programa eleitoral para a sucessão presidencial, de governadores e parlamento, mas aqui não. No ano que vem saberemos se as drogas políticas estarão totalmente liberadas.

Leia Aqui

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Uma geração perdida

É degradante ver que muitas crianças perderam suas infâncias nas ruas, sem que pudessem ter verdadeiramente oportunidades na vida, e que agora estão perdidos nos meios das drogas e prostituições, um mundo onde lhe são negados a viver descentemente.



Como sempre o PT cria projetos pedagógicos arcaicos e primitivos, sempre com o auxílio dos métodos marxistas de Paulo Freire. No meados dos anos 90, o então prefeito de Belém Edmilson Rodrigues (atualmente no PSOL) fundou o "escola circo" com os aplausos dos dirigentes da UNICEF, e durante toda a sua gestão, obteve vários prêmios internacionais, e foi até chamado de “Prefeito Criança”, graças a esse falso projeto utópico do PT. O projeto consistia em tirar garotos de ruas em situação de risco da miséria e colocá-las para fazer atividades relacionadas ao circo como o malabarismo.



Vocês já devem imaginar o que aconteceu com essas crianças não é? No fim da gestão petista frente ao Município de Belém, essas crianças não tiveram orientação adequada para se manterem, e perderam qualquer tipo de realização educacional e profissional. Agora, eles se tornaram adultos, e sem nenhuma perspectiva de vida, se colocam na frente de carros nos faróis de trânsito com suas bolinhas fazendo malabarismo, como bem ensinou a "escola circo" do PT.

Maltrato aos verdadeiros trabalhadores rurais

O verdadeiro trabalhador rural está cada vez mais desmotivado para trabalhar em prol do Brasil, a motivação está em frangalhos, e muito deles são taxados de burgueses pelos movimentos sociais e pelo próprio governo federal. Todos os dias, nesse país, os proprietário de terras são humilhados e desrespeitados por quadrilhas comunistas, é uma luta diária contra os baderneiros que promovem a desmoralização das leis brasileiras. Não é fácil ter que acordar muito cedo para começar a jornada e ainda ser maltratado verbalmente e até fisicamente por criminosos regularizados pelo Governo Lula.



Não tem outra saída, de um lado eles não podem produzir muito para não prejudicar o meio ambiente, e ainda por cima são esculachados pelo maconheiro Minc, do outro lado os produtores rurais devem atingir o índice mínimo de produtividade, com o risco de perder suas terras, e ainda serem entregues aos marginais do MST, como nas ditaduras comunistas. É o velho dilema, se correr o bicho pega, e se ficar o bicho come. É um absurdo que os trabalhadores rurais sejam submetidos aos caprichos indecorosos da esquerda arcaica.





O índice de produtividade nada mais é do que um instrumento ditatorial para a expropriação de terras. O governo federal não leva em consideração os fatores que independem do esforço humano para controlar o índice, é a mesma coisa que obrigar um empreendedor a produzir algo sem se importar com os prejuízos que podem causar.





Isso é o Brasil, governado por comunistas salafrários que não conhecem o valor do trabalho.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

1984: A PROFECIA MODERNA DE GEORGE ORWELL


Por Hélio Angotti Neto




A segunda Guerra terminou! E o totalitarismo se expande e é levado até suas últimas consequências. Assim acontece no livro de George Orwell, ficção feita como aviso ao futuro sobre os males que o autor identificara na sua ideologia prévia, no momento de sua desilusão com o comunismo.


Lá no livro está o Partido Socialista Inglês, o super-partido que é a razão última da existência e agente coletivo do poder. Gramsci se sentiria em casa, pois o seu príncipe partidário e maquiavélico é facilmente reconhecível no Grande Irmão Orwelliano. Não se honra o país, a família, a religião; se vive e se honra somente o partido. O partido de 1984 é eterno, onisciente, onipotente e onipresente numa caricatura porca da Divindade renegada pelos homens. É o fechamento do ser humano à transcendência como Voegelin bem notara em sua época.


Lá está o duplipensar, caracterizado por aceitar contradições óbvias e acabar num emburrecimento completo, tornando-se incapaz de enxergar o óbvio perante o nariz. O Estado laico proíbe cristianismo nas escolas, mas ao mesmo tempo estimula o ensino das religiões africanas. O Estado não permite pena de morte, mas estimula a morte maciça de crianças no abortamento. O Estado prega a igualdade de direitos, mas favorece minorias declaradamente. O Estado prega a distribuição de renda, mas na verdade acumula poder num partido que engloba e afunda a noção de país soberano. O Estado proíbe drogas, mas está aliado a narcotraficantes terroristas de outros países.


Em 1984 encontramos o controle dos pensamentos, um politicamente correto de nossos dias levado às últimas consequências. Lá o indivíduo é uma ilusão, e somente o coletivo do partido existe e é eterno.


Lá está a novafala (ou novilíngua), com seus conceitos que proíbem pensamentos. E aqui temos as palavras que são imbuídas de preconceitos paralisantes e dementes. O reacionário, a direita, o católico, o crente, o religioso, o certinho, e tantas outras palavras que são muitas vezes assumidas ou ditas com um pedido encoberto e covarde de desculpas.


Lá está o subjetivismo moderno e a recusa de uma realidade objetiva, subjetivismo este que motiva nossa política e nossa iletrada classe letrada.


O'Brien, o terrível agente da Polícia das Idéias e carrasco do Ministério do Amor (onde se encontram os presos políticos), hoje é visto nos nossos intelectuais subjetivistas e niilistas, que apóiam partidos e desconstroem o passado e a realidade. Como Viktor Frankl dizia, a culpa dos campos de concentração está nos filósofos niilistas ganhadores de prêmios internacionais.


O passado no 1984 inclemente de Orwell é um brinquedo na mão do partido. Fatos são reescritos e a memória se perde num emaranhado de anseios políticos de dominação. Hoje nossos livros de história são porcamente escritos com propagandas descaradas que elogiam genocidas brutais e desumanos como Stalin e Mao.


Orwell captou bem o objetivo da elite pensante por trás das ideologias de massa: acumulação do poder, da força. Criar uma nova elite brutalmente poderosa. Controlar são só a economia, mas a mente e o coração.


O núcleo do partido deixou de ser composto por guerreiros e nobres, tornando-se uma elite de burocratas intelectuais. O resto do partido se enquadra no que Lênin chamava de inocentes úteis, passíveis de serem eliminados uma vez que se tornassem inconvenientes. O proletário continua proletário, mais pobre e mais oprimido, achando que melhorou, manobrado pelas idéias de seus governantes. Os inocentes úteis são os nossos intelectuais de segunda ordem, os professores e sociólogos que acham fazer um bem ao pregar suas ideologias ultrapassadas.


Ainda bem que Orwell não viveu para ver o Brasil de hoje! Ele morreria muito preocupado, percebendo que suas palavras foram jogadas ao vento.


E no fim, o herói morre aprendendo uma severa lição: quando finalmente o ser humano se dobrar de corpo e alma à tirania, seu prêmio irremediavelmente será a aniquilação...









Morre o ator Patrick Swayze


O ator Patrick Swayze não morreu somente no filme “Ghost”, aos 57 anos, ele não resistiu ao câncer de pâncreas e morreu em vida. Numa entrevista que ele deu a um jornal americano, já dava sinais de cansaço, e disse ao repórter que iria morrer no máximo em dois anos, e que infelizmente se concretizou ontem.


Para aqueles adolescentes que viveram intensamente os anos 80, não esquecem até hoje a boa interpretação de Patrick Swayze no filme ''Dirty Dancing - Ritmo Quente'', que desbancou até o famoso John Travolta com renomado filme “Os Embalos de Sábado à Noite” feito nos anos 70. O longa-metragem foi muito importante para impulsionar a bela carreira do ator americano, que logo em seguida faria mais sucesso ainda com o “Ghost”, no qual dividiu o seu espaço com grandes atrizes como Demi Moore e Whoopi Goldberg.


Eu não colocarei de forma alguma a foto do ator em seus últimos dias de vida. A minha intenção é prestar homenagem a esse grande homem que nos deixou ontem e que certamente está nas mãos de Deus.


Veja uma das cenas do Filme “Ghost”:


segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Meu nome será eternizado


Hoje eu estou muito feliz! O meu nome será eternizado para sempre no Estádio Baenão do Clube do Remo, passados mil anos, após algumas escavações, os historiadores do futuro irão encontrar o meu nome lá. Aí vocês perguntam. O quê é isso? Do quê você está falando? Explicarei.


O Clube do Remo está colocando aos poucos no mercado camisas comemorativas do tri campeonato de 1926, e só terão quinhentas camisas disponíveis na boutique do clube. E para aqueles que adquirirem o produto, vão ter seus nomes colocados no Estádio Baenão, que é a casa do Leão Azul.


Não é para se emocionar? Eu juro para vocês que eu irei bater uma foto e mostrar o meu nome colocado no maior templo sagrado do futebol mundial. Hehe.