segunda-feira, 27 de julho de 2009

Informações em favor do socialismo bolivariano

O presidente deposto, Manuel Zelaya, o golpista a serviço de Chávez, se reuniu com os guerrilheiros da Nicarágua para chegar à fronteira de Honduras, na tentativa de provocar um derramamento de sangue no país. E, com o apoio da mídia mundial, o cowboy bolivariano constrói a sua imagem de bom moço através da desinformação.

A omissão da imprensa é um dos maiores aliados do projeto bolivariano para se consolidar no poder, todos os jornais televisivos brasileiros omitiram a informação de que Zelaya estaria em companhia dos guerrilheiros sandinistas da Nicarágua, é uma ação proposital, em favorecimento ao movimento socialista que se instala cada vez mais em todas as esferas de comunicação.


O plano de Zelaya não é em restaurar a democracia de Honduras que ele próprio tentou destruir, mas sim em promover a subversão, o “banho de sangue” no país, tudo isso com a intervenção de Hugo Chávez, claramente, com o objetivo de macular a soberania nacional. A imprensa teria o papel fundamental na cobertura desse fato histórico, se não fosse pela mediocridade em defender todas as atitudes de Zelaya, e, insistir em chamar o novo governo hondurenho de “golpista”.

O apoio da maioria da população ao novo governo hondurenho é simplesmente ignorado pela boa parte da mídia brasileira. Os hondurenhos rejeitaram completamente a volta de Zelaya ao país, mas, parece que a imprensa prefere fazer vista grossa, e essas informações não chegam corretamente aos leitores, telespectadores e ouvintes.


Ninguém é capaz de citar a violação da carta magna promovido pelo cowboy hondurenho, a intervenção de Chávez, a relação do presidente deposto com os guerrilheiros sandinistas, a verdadeira intenção desse desfile de carnaval promovido pelos bolivarianos. É evidente o apoio da mídia ao plano socialista.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

OEA Vs Internautas brasileiros


É até engraçado ver a tentativa desesperada da OEA em defender Zelaya e sua tropa comunista, e, em contrapartida, leitores criticando a postura da organização em todos os sites de notícias. É só ver, por exemplo, os comentários dos internautas no site do Estadão, para perceber a quantidade de gente que é contra o pensamento do Secretário Geral da OEA, José Miguel Insulza, em relação ao novo governo hondurenho.


É interessante ver as opiniões dos internautas no site do Estadão. Coloquei alguns comentários abaixo:


OEA diz que permanência de 'ditadura' em Honduras é 'loucura'


Falcamargo


Esta matéria deveria estar na seção de humor do Caderno 2! A ordem democrática em Honduras está mantida desde o dia seguinte ao afastamento do ex-presidente Zelaya. O governo interino tem apoio de 2/3 da população. Foram presos diversos agitadores extangeiros entre os manifestantes, oriundos da Venezuela e da Nicarágua. Também foram presos criminosos que receberam dinheiro para causar os tumultos. A única morte ocorrida foi causada pelos próprios manifestantes, pois as forças armadas usam balas de borracha para dispersar os manifestantes. Este Insulza é um palhaço mesmo!


Euller


Que crise?, apenas querem limpar o ESTADO DE Hoduras...o que deveriam fazer por aqui URGENTE.


Crisrochazevedo


Ditadura com eleições em 4 meses? Essa é nova, Insulza!


Atojr.


O golpista Zelaya está com o exército comunista do beiçudo da Venezuela. Se vencer, mais uma Cuba será instalada na América Central.Insulza é um velho comunista. Aliás, barulho, greve,terror, são especialidades dos filhotes de stalin


A OEA é uma entidade que está à beira da falência e que existe somente para representar os interesses dos vermelhinhos. Os internautas do Estadão observaram bem essa questão em seus comentários.


domingo, 19 de julho de 2009

A “SOCIALIZAÇÃO DO IDIOTA”

Por Percival Puggina

Movimento Endireitar
Estou chegando da missa de sétimo dia da mãe de uma querida amiga. Na prece dos fiéis, fomos convidados a rezar pelos “movimentos sociais”. Aquela oração, perante cujo enunciado, obviamente, fiquei calado, me fez lembrar foto publicada na edição de Zero Hora de poucos dias atrás, mais precisamente, em 7 deste mês: um grupo de estudantes, de pé, sobre as mesas de uma sala de reunião, exibia-se em atitude que tanto podia corresponder a um protesto quanto a um concurso de requebros. “Que diabo seria aquilo?” – eu me havia indagado ao observar a imagem. A matéria esclarecia. Os jovens expressavam sua inconformidade com o esboço do Plano de Carreira do Magistério Público Estadual. Entenda leitor: era mais ou menos como se os auxiliares de enfermagem estivessem descontentes com alguma questão corporativa do hospital e os pacientes saíssem dos leitos para sapatear na mesa do diretor.

Nelson Rodrigues, em O Globo do dia 28 de março de 1970, publicou artigo abordando um fenômeno já então em curso e que ele denominou “a socialização do idiota” (anos depois, Olavo de Carvalho esmiuçaria brilhantemente o mesmo tema em “O imbecil coletivo”). Lá pelas tantas, o maior de todos os Nelson escreve assim: “Vocês se lembram das greves estudantis da França? (ele se referia ao que ocorrera a partir de Nanterre, em maio de 1968, o tal ‘ano que não terminou’). Os jovens idiotas viravam carros, arrancavam paralelepípedos e incendiavam a Bolsa. E, então, o velho De Gaulle falou aos idiotas. – ‘Eu sou a Revolução.’ Que ele fosse a Revolução era o de menos. O que realmente enfureceu o mundo foi o eu. Era alguém que queria ser alguém. Um dos maiores jornalistas franceses escreveu furibundo artigo contra aquele espantoso orgulho. Aquele guerreiro de esporas rutilantes e penacho negro foi o último eu francês. Os outros franceses são massas, assembléias, comícios, maiorias.”


Os tais movimentos sociais, orçamentos participativos, audiências públicas e assemelhados são expressão dessa mesma coisa quarenta mais tarde, por obra e graça dos projetos ideológicos e da ambição petista pelo poder. O PT, desde cedo, compreendeu as imensas possibilidades abertas pela socialização dos idiotas. Um idiota sozinho é um sujeito ridículo. Um parvo. Um imbecil solitário. Já um ônibus cheio de idiotas, ou uma passeata deles se transforma em expressão da sociedade. Eleva-se à categoria de povo e – imensa vantagem! – se torna inimputável. – “Como assim, inimputável?” perguntará o leitor. Sim, o idiota socializado se ergue à condição de índio ou de criança, podendo meter-se em qualquer encrenca e cometer a maior tropelia sem que precise responder pelo que fizer. Há sempre uma legião de jornalistas para concordar e raros membros do Ministério Público e do Poder Judiciário para discordar.

Vivemos o exílio da individualidade. Os únicos indivíduos existentes no Brasil, hoje, para todos os efeitos, são Lula, Daniel Dantas, Joaquim Barbosa e Gilmar Mendes. A presença de Lula nessa lista é algo que o PT, como partido dos tais coletivos, tira de letra: trata-se de imposição da realidade socializar a idiotice e promover o culto da individualidade do líder. Stalin e Mao Zedong já o demonstraram há muito tempo.

Link : http://www.puggina.org/

Leia Aqui

Portugal está no rumo certo


O atual presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, pretende revisar a constituição portuguesa com intuito de proibir o comunismo em Portugal. Nada mais justo que esse tipo discussão seja levado ao Parlamento para pôr fim a toda e qualquer tipo de manifestação totalitária em um país que preza pela democracia e liberdade.


A Constituição de Portugal já prevê a proibição do fascismo no país, então, seria importante fazer essa revisão e incluir o comunismo nessa lista, uma ideologia responsável por milhões de morte e destruição em todo o mundo, não deve ter tratamento especial, e, portanto, esse lixo ideológico tem que estar colocado também no texto constitucional, em nome da respeitabilidade. A democracia portuguesa não pode tolerar de forma alguma que esses pensamentos autoritários venham a prejudicar a governabilidade do país. O comunismo não respeita a liberdade e o livre arbítrio, e por isso, deve ser extirpado da política portuguesa.


Espero que essa revisão constitucional seja levada a sério pelo Parlamento Madeirense, ao contrário do que muita gente pensa, esse debate não tem nada de polêmico, e, nada tem a ver em beneficiar partido “A” ou “B”, mas sim, em restaurar plenamente a soberania democrática dos cidadãos portugueses, e evitar que a ideologia comunista se dissemine e destrua com a política local. Portugal está no rumo certo.


terça-feira, 14 de julho de 2009

Joyeux Jour de la Bastille !!!!


Na França, comemora-se hoje o "14 de julho", conhecido como a queda da Bastilha. É um acontecimento importante na história da humanidade que promoveu a criação de valores baseado na igualdade, fraternidade e liberdade, tudo isso, representado pela bandeira nacional francesa, e que marca o início da república no país junto com as formações das instituições democráticas.


A Bastilha era uma fortaleza que começou a ser construída em 1370 em Paris, durante o reinado de Carlos V, concluída doze anos depois. No século XV, foi transformada numa prisão de estado para aqueles que discordavam da monarquia francesa, ou para aqueles que eram considerados uma ameaça ao Rei.


O “14 de julho” é uma data especial para os franceses porque representa o fim do absolutismo monárquico e o começo do processo revolucionário da revolução francesa. E o primeiro alvo dos revolucionários foi a Bastilha. Depois de muitos anos aprisionados pelo absolutismo, o povo tomou as rédeas e estabeleceu a liberdade individual que tanto faltava na época em que o Estado era o Rei.


O lema da revolução francesa é liberal. O homem se desenvolve quando expande suas riquezas através do esforço, do valor individual e da liberdade de expressão.


Parabéns aos franceses! Joyeux Jour de la Bastille à tous les Français autour du monde!


quarta-feira, 8 de julho de 2009

Irresponsabilidade de Manuel Zelaya


O "Ratinho" hondurenho deposto, Manuel Zelaya, pediu para a população continuar com as manifestações “pacíficas” a favor de seu retorno a presidência do país. Trata-se de um pedido irresponsável de um cretino que pretende de qualquer forma quebrar a credibilidade das autoridades hondurenhas. O ex-presidente de Honduras (assim espero) que tentou desrespeitar a constituição de seu país, agora busca a manutenção dos protestos para se autopromover como o “homem do povo” que foi destituído pela burguesia. Ridículo!


O Golpista Manuel Zelaya não tem mínima noção do que isso pode ocasionar através desse discurso. O que ele quer mesmo é anarquia, depredação, desordem, caos. Tudo isso para desestabilizar o governo interino de Honduras.


Os vermelhinhos que tanto reclamam da “intervenção” americana, agora pedem apoio aos americanos para que Zelaya retorne ao poder em Honduras, engraçado não? O Golpista hondurenho se reunirá com a secretária de estado, Hillary Clinton, para que os Estados Unidos entrem em ação e o recoloque na presidência de Honduras. Conhecendo bem a política pacifista e irresponsável de Obama, não me surpreenderia se o presidente americano apoiasse tal iniciativa, aliás, ele já está fazendo isso, apesar das políticas antiamericanas do bolivarianismo.


Os bolivarianos não podem de forma alguma intervir na política constitucional de Honduras. Roberto Micheletti, que ocupa a presidência do país desde a intervenção legítima dos militares, sabe da importância de não se submeter a esses marginais socialistas. Honduras não pode ser vitimas de mais um ditador a la Chávez.