domingo, 18 de julho de 2010

O MST paraguaio


Hoje, no programa do “Globo Rural”, vi o drama dos brasiguaios nas áreas fronteiriças entre Brasil e Paraguai. Muitos brasileiros estão impedidos de trabalharem em suas fazendas por conta, muitas das vezes, de ameaças do “MST paraguaio”.

Há brasileiros que se estabeleceram nas regiões fronteiriças através do convite do próprio Governo  Paraguaio para abastecer o mercado interno na época, já que, o país não tinha mão-de-obra suficiente e qualificada para a produção agrícola. A população aumentou consideravelmente no Paraguai e, famílias paraguaias tiveram que migrar para a zona rural em busca de terras para sobreviver. É aí que começar a surgir grupos nacionalistas e xenofóbicos contra brasileiros instalados nessas regiões fronteiriças. É uma guerra constante entre Brasileiros e Paraguaios que parece não ter fim. As Rádios guaranis chamam os camponeses sem terras, por exemplo, para expulsar brasileiros de suas propriedades com incêndios, bloqueios, tiros, sanções, ameaças e etc.

Essas ações criminosas no campo nos fazem lembrar de quem mesmo? Do MST é claro! É o MST paraguaio agindo da mesma forma que o MST brasileiro. Há sempre aqueles líderes de extrema esquerda que tentam provocar o ódio nas comunidades camponesas com a intenção de criar uma guerra sem fim entre os proprietários de terras e as “vítimas” do capitalismo selvagem. É o famoso ódio marxista no campo.

Nenhum comentário: