sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Hondurenho, povo macho sim senhor!


Quando crescer, quero ser hondurenho! Nenhum representante bolivariano foi capaz de derrubar Honduras. ONU, OEA, Lula, Celso Amorim, Hugo Chávez, e Obama tiveram que ficar chupando manga. Micheletti deu uma boa lição ao resto do mundo de como desmoralizar a esquerda latino-americana através dos meios legais, chutando os traseiros sujos dos bolivarianos para bem longe. O Governo de Facto estava disposto a dialogar com Zelaya após o incidente na embaixada brasileira que fez aumentar a crise política em Honduras, mas o cowboy hondurenho continuava intransigente e desonesto, e, em inúmeras vezes, disse não querer diálogo para não retomar a negociação. Uma atitude destrambelhada de Zelaya que, fez com que os Estados Unidos mudassem de idéia e, começassem a apoiar as eleições presidenciais para o dia 29 de novembro. E claro, não poderia ser diferente, quando a esquerda se sente acuada, os atentados começam aparecer de uma hora para outra, mas que, felizmente, nada parece intimidar Michelletti que, continua na sua luta incessante contra os bolcheviques do século XXI.

A comunidade internacional não tem nem do que reclamar. Roberto Micheletti está cumprindo com a sua palavra de deixar o poder no fim do ano e garantir as eleições presidenciais. E Zelaya? E a Diplomacia Brasileira? Eles ainda tentam, da forma mais repugnante possível, adiar as eleições por 15 dias. Comportamento típico de terroristas comunistas. A cada dia que passa o discurso de Celso Amorim contra as eleições democráticas de Honduras se radicaliza, é o tom da derrota, o tom do desespero que toma conta da diplomacia bolivariana, que vê o projeto do Foro de São Paulo ir por água abaixo.

É por isso que eu digo: Hondurenho, povo macho sim senhor! Não é fácil lutar contra o resto do mundo mesmo quando está com a razão. As eleições serão realizadas no dia 29 de novembro, e nenhum chanceler fracassado irá intervir na democracia hondurenha. Ok Amorim?

Nenhum comentário: