domingo, 20 de setembro de 2009

Para os camelôs, tudo. Para os comerciantes, nada.


As autoridades de Belém respeitam mais os camelôs do que os comerciantes que pagam seus impostos regularmente. Os Ambulantes podem se instalar na frente dos shoppings na maior cara de pau que nenhuma autoridade irá aparecer para tomar alguma providência, mas para cobrar impostos dos comerciantes, eles vêm aos montes não é? Em Belém é o poste que urina no cachorro.


Com a construção de um novo shopping em Belém no bairro do reduto, os camelôs já estão se organizando para se instalarem em frente ao novo centro comercial. Eu não sei de onde vem tanto camelô, mas é fácil perceber que as autoridades de Belém não fazem nenhum esforço para conter o avanço desses caras na capital paraense, e o comercio ilegal vem crescendo assustadoramente. Só pelo fato dos camelôs fazerem gato de energia elétrica nos estabelecimentos dos comerciantes, já é um motivo mais do que justificável para colocar esses marginais na cadeia.


O problema é o seguinte, o comerciante no Brasil é visto como um burguês/sionista/neoliberal/yankee/tucano/privatista culpado pela pobreza do país, enquanto isso os camelôs são vítimas do capitalismo selvagem, e que segundo as autoridades, eles podem fazer o que querem, há de ser tudo da lei.


É uma pena que os comerciantes continuam sendo maltratados pelos homens políticos de Belém, são eles que fazem impulsionar legalmente a economia da cidade, mas que mesmo assim são tratados como burgueses malvados.

Nenhum comentário: