domingo, 9 de agosto de 2009

A piada do século


Hugo Chávez é uma espécie de Ary Toledo, só que com fardas militares. Segundo o beiçola, nenhum país pode competir em liberdade de expressão com a Venezuela. Essa declaração não é a piada do ano, e sim do século, não haverá nenhuma piada mais engraçada e ao mesmo tempo de mau gosto como essa.


Com o mesmo discurso de prevalecer à segurança nacional, o ditador Hugo Chávez, em 2001, decretou 49 leis ao mesmo tempo em que expirava o período de poderes especiais concedidos ao beiçola pela Assembléia Nacional, algumas delas, como as legislações sobre os combustíveis, propriedade de terras e bancos. Em 2007, a rede de televisão que denunciava todas as barbaridades do governo venezuelano, a Télévision, não teve sua concessão renovada, e foi obrigada a encerrar suas atividades.


No mesmo ano, ele apresenta ao parlamento a mudança da constituição de 1999 para permitir sua reeleição infinita, e no referendo, leva um não dos venezuelanos. Anos mais tarde, o ditador venezuelano teve que fazer mais um referendo com o mesmo objetivo, e com a ajuda das fraudes nas urnas, ele consegue ganhar o tal “referendo democrático” que permitiu a reeleição sem limite.


Várias expropriações foram feitas para instaurar o socialismo do século XXI na Venezuela, rádios estão sendo fechadas e a Globovisión é a bola da vez, sendo vítima dos militantes de Hugo Chávez quando teve sua sede invadida, e com a perseguição dos policiais venezuelanos ao presidente da emissora.


Qual seria o nível de democracia da Venezuela? A mesma de Cuba, Irã, Coréia do Norte, Cazaquistão e outros do mesmo naipe? Essa é a piada mais caricata do século XXI.






Nenhum comentário: